Essa pergunta: “O que é qualidade de vida?” não é tão simples assim de ser respondida, uma vez que ela varia conforme a maneira que cada pessoa escolhe para viver bem. Para uns está associado ao dinheiro, para outros é o sucesso profissional, status; pode estar vinculado a uma vida mais simples: menos dinheiro e mais tempo para a família, e por aí vai. Portanto, qualidade de vida é uma opção pessoal.

Quando fui morar em Florianópolis para fazer o mestrado consegui uma bolsa de estudos. Dividia o aluguel da casa que morava com mais uma estudante, morava 15 minutos da praia e durante dois anos só estudei e fazia uns freelas de revisão de materiais didáticos para aumentar um pouco a renda. Para mim aquilo era qualidade de vida. Para o meu estilo e propósito de vida, naqueles dois anos e meio, o dinheiro não me importava tanto, priorizei uma vida menos estressante, porém pagando o preço de ganhar menos para viver mais.

Para outras pessoas, qualidade de vida é ser concursado, a certeza que você nunca será mandado embora do seu emprego, ter um emprego fixo, carteira assinada, férias garantidas todo ano, viajar para o exterior e por aí vai. Então, não podemos julgar a vida dos outros. Cada um decide como quer levar a sua vida. Por esse motivo qualidade de vida tem a ver com escolhas de bem-estar, ter consciência da decisão que toma e, simplesmente, tocar a vida sem prejudicar ninguém. Por isso, não há uma definição qualidade de vida, pois não se pode generalizar e padronizar.

O autoconhecimento é muito importante na hora de você decidir que vida você quer ter para adquirir a qualidade desejada. Eu elenco três atividades, que servem para mim. E lanço o desafio para você elencar quais são as suas!

Praticar uma atividade física – Uma das coisas que mais prezo para ter qualidade de vida é praticar uma atividade física A meta: correr pelo menos duas vezes por semana, em um parque ou local a céu aberto; aula de zumba 3 vezes por semana e que eu não precise sair de casa (onde moro as aulas acontecem na quadra de esportes do condomínio) e, se sobrar tempo, para ficar perfeito, nadar um dia da semana que seja. Pergunte a um sedentário, que odeia praticar exercício físico, se isso é sinônimo de qualidade de vida. Nem precisa me responder o que ele vai dizer.

Ter um hobby – Ter um hobby é possível que seja unânime para quem busca qualidade de vida. Dar vazão a essas atividades faz bem para sua saúde física e mental. Meus hobbys são fazer aula de canto, de violão, aprender Libras e nunca parar de estudar. Acredite, tem quem goste e eu sou uma delas. Mas se a pessoa é movida pelo status e pelo dinheiro para se ter uma boa qualidade de vida para ela e sua família, provavelmente não terá tempo, cabeça e muito menos o autoconhecimento necessário para saber que hobby gostaria de fazer.

Viajar para o exterior – A busca por qualidade de vida tem feito com que as pessoas busquem cada vez mais viajar. Há pessoas que guardam dinheiro o ano inteiro ou parcelam em diversas vezes a viagem para ficar um mês, 15 dias ou até mesmo apenas uma semana para conhecer hábitos diferentes dos seus, desfrutar de uma gastronomia diferente, fazer novas amizades, se comunicar em outros idiomas. Para uns, viajar com uma mochila nas costas pode ser um projeto de viagem ideal, já outros não largariam mão do conforto. E, se ir mais a fundo, pensando na diversidade de pessoas com gostos diferenciados, tem quem acha – e eu conheço pessoas assim –, que preferem não ter que economizar o ano inteiro para ter a possibilidade de fazer uma grande viagem. Para essas pessoas, qualidade de vida é ter dinheiro para o seu dia a dia, sem se preocupar com a conta bancária.

E você? Já pensou qual estilo de vida se aproxima mais ao seu modo de ser e de estar para ter uma qualidade de vida?

Fonte: Brisa Teixeira, texto publicado no portal da Futuro Eventos – http://www.futuroeventos.com.br/conteudo-blog/qualidade-de-vida-e-saude/o-que-e-qualidade-de-vida

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *