Posts in Educação e Tecnologia

ARTIGO – Por uma nova comunicação na Educação a Distância

Brisa_perfilTexto: Brisa Teixeira de Oliveira (Artigo publicado no site da Futuro Eventos)
http://www.futuroeventos.com.br/noticias/integra.php?id=596

A revolução da informação e da comunicação está desafiando os métodos tradicionais de ensino. Quando uma instituição educacional percebe que chegou a hora de ofertar os seus cursos também na modalidade virtual, uma série de medidas e adaptações precisa ser tomada. Entre os vários desafios, um deles está na capacitação dos professores, no sentido de prepará-los a tornarem-se aptos para se comunicar com este aluno que agora está presente virtualmente. No entanto, a realidade de muitas instituições é a oferta de cursos na modalidade a distância com os mesmos procedimentos do presencial, transpostos para um Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem (AVEA), sem adequá-los à natureza do modo de comunicação virtual.

A arte de se comunicar na Educação a Distância (EaD) envolve uma série de questões que precisam ser apreciadas a fim de que ocorra um diálogo contínuo entre todos os atores do processo de ensino e aprendizagem, em que o objetivo final realmente seja a aprendizagem do estudante por meio de uma mediação pedagógica que dê conta das mudanças de paradigmas que a educação on-line traz.

Em tempos de recessão econômica somadas com as mudanças tecnológicas, muitas profissões estão passando por um processo de se reinventar. Com os professores e instituições de ensino a transformação vem acontecendo dentro e fora da sala de aula. Isso não é diferente com os professores que ganharam mercado com a atividade de escrever materiais para a EaD. Mas nem sempre eles desenvolvem essa atividade de redigir materiais para a modalidade a distância levando em conta as concepções pedagógicas atuais, o conhecimento do seu público-alvo, as possibilidades de intersecção com as mídias e questões relativas à linguagem.

O dialogismo, por exemplo, é uma realidade em vários materiais didáticos de ensino presencial, no entanto, quando fala-se em EaD, esse caráter dialógico precisa ser intensificado, pois visa aproximar os que estão distantes fisicamente. É como se o professor/autor, fisicamente distante dos estudantes, pudesse estar presente, envolvido com a construção de um estilo conversacional.

A competência midiática implica não apenas nas práticas pedagógicas, estende-se para as práticas de gestão institucional. Além dos modos de comunicação faz-se necessário criar condições para o desenvolvimento de uma competência mediática que privilegie uma comunicação, que promova a interação efetiva entre estudantes e professor no Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem.

A concepção pedagógica precisa estar integrada com o processo metodológico, do contrário, pode-se estar utilizando a tecnologia mais avançada para se fazer o óbvio ou o tradicional. Como é, então, que os professores expressam sua presença pedagógica no diálogo on-line por meio dos recursos digitais? Quais são as condições, limites e possibilidades dos meios digitais? A tecnologia, enfim, veio para limitar ou para potencializar outras formas de trabalho pedagógico?

Cabe aos professores, às instituições de ensino e a todos os envolvidos no processo, inclusive os alunos, entender que a transposição de cursos da modalidade presencial para virtual necessita de determinadas competências comunicativas por meio do processo de letramento digital. Não se pode afirmar que, somente com a existência de um Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem já está assegurada a competência comunicacional para uma efetiva aprendizagem. Para que neste espaço haja cooperação, diálogo, interação faz-se necessário desenvolver uma determinada fluência comunicacional, de uma nova cultura, que vai além da inovação técnica.

Brisa Teixeira de Oliveira
Mestre em Educação UFSC (2015), na linha Educação e Comunicação, com pesquisa acadêmica sobre as mudanças comunicacionais em cursos que passaram da educação presencial para a Educação a Distância (EaD). Formada em Comunicação-Jornalismo, na PUC-PR, em 1997. Pós-graduada em Marketing (FAE), Jornalismo Digital (Universidade Autônoma de Barcelona) e Formação de Orientadores Acadêmicos em EaD (Uninter).

Criatividade é a palavra-chave para conquistar a atenção dos alunos no YouTube Edu

Criatividade é a palavra-chave para conquistar a atenção dos alunos, que buscam didática e boa metodologia nos canais de educação do YouTube. Para se destacar, professores precisam pensar em técnicas, novos formatos e, é claro, conteúdo de excelente qualidade.
De olho no potencial desta mídia para a educação, em 2013, o YouTube criou o YouTube Edu, reunindo vídeos e canais criados por professores para gerar uma interação com seus alunos e, é claro, como uma nova fonte de renda neste mercado tão pouco valorizado financeiramente. Com os canais de YouTube, tem educador que consegue faturar entre  R$ 5 mil e R$ 7 mil por mês!!! Quantas aulas presenciais será que ele teria que dar para conseguir este valor?
Ms não basta só colocar o conteúdo no Canal. Muitas críticas o YouTube Edu recebe por faltar um sistema de “filtro de qualidade”. Ouvindo o outro lado, eles dizem que um dos trunfos do YouTube Edu é justamente democratizar o ensino – e sua transmissão. Como sempre vai do usuário saber selecionar o que é bom.
Pesquisando nos vídeos mais vistos, encontrei um vídeo “Congele água em 1 seg – o segredo” com mais de 11 milhões de visualização, mais precisamente, no dia de hoje, 22 de junho, às 10h33, 11.795.341!!! São mais de 6 milhões de inscritos no Canal deste vídeo chamado Manual do Mundo. Além do Canal do YouTube, são 1.328.455 fãs da Fanpage, 264.891 seguidores no Instagran, e 89.115 seguidores no Twitter.
Quem faz os vídeos é a produtora “Manual do Mundo Comunicação”, especializada em entretenimento educativo, em conteúdos que despertam a curiosidade e a criatividade. “Descomplicar e transformar o chato em divertido é com a gente!” divulgam em seu site os idealizadores.
youTubeEdu
Leia mais sobre os Canais de Educação do YouTube neste link do Estadão, que serviu de inspiração para criar este post: http://link.estadao.com.br/noticias/cultura-digital,canais-de-educacao-no-youtube-lutam-em-setor-saturado,10000058197

 

Começa hoje o Festival Hub Escola

Começa hoje, em Curitiba, a 8.ª edição do Festival Hub Escola. São jovens empreendedores e inovadores repassando o que eles têm de melhor: o conhecimento. Pessoas com visão de futuro e experiências de vida que vão motivar quem passar por lá. Serão duas semanas intensas de oficinas para refletir e pensar coletivamente sobre como cada um está conduzindo a sua vida pessoal e profissional aliadas com o equilíbrio necessário para ser feliz e tomar decisões assertivas. Focar na sua área, intensificar os pontos fortes, preencher os pontos fracos, enfim, tem apresentações interessantes e instigantes para todo profissional bem intencionado.
As oficinas são dinâmicas e participativas que vão desde como apresentar uma palestra de alto impacto até hábitos eficazes para aprendizagem autônoma.
Confira a programação completa, que vai até o dia 14 de maio, neste link http://curitiba.impacthub.net/cursos-festival-hub-escola/
Aqui, pelo blog, será possível acompanhar como foram algumas apresentações, escolhidas a dedo, com entrevistas com os palestrantes. O Festival Hub Escola já é uma referência para quem quer aprender com inovação e motivação.
Para algumas oficinas você consegue se inscrever. Corra enquanto é tempo. Acesse o link http://gph.is/1rnpbhV e sucesso para todos nós.

Ciclo de debates “Periódicos UFSC”.

Logo-redondo-CICLO-DE-DEBATES2-300x228
Como parte das comemorações dos sete anos do lançamento oficial do Portal de Periódicos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), será promovida a quarta edição do ciclo de debates “Periódicos UFSC”. Com o tema central “Direito Autoral e Critérios de Qualidade na Publicação Científica”, o evento será realizado no dia 5 de maio de 2015, às 8h30, no auditório da BU, campus de FlorianópolisAs inscrições são gratuitas e limitadas.
O evento contará com a presença de convidados, como o professor Benedito Barraviera (Unesp) e Bianca Amarom (IBICT), além de relatos de experiências de revistas publicadas pela própria UFSC.
Programação completa, inscrição e mais informações no site do evento.
Fonte da notícia: Portal da UFSC

Cursinho Solidário oferece 360 vagas para 2015

cursinho solidário
Estão abertas as inscrições para o Cursinho Solidário – um projeto voltado a estudantes do segundo ou terceiro ano do Ensino Médio, de baixa renda, provenientes de escolas públicas, que pretendem prestar vestibular no próximo ano. Apoiado pelo Instituto Positivo, o projeto oferece 360 vagas para um curso preparatório isento de mensalidade, que inicia no dia 20 de fevereiro e conta com 30 aulas semanais, além de simulados e assistência extraclasse.
Idealizado e coordenado pela ONG Formação Solidária, o cursinho existe há 12 anos e, atualmente, possui 80 professores voluntários – entre eles 16 do Grupo Positivo. A metodologia utilizada é a mesma do Curso Positivo e o material didático é subsidiado pela Editora Positivo. As aulas acontecem na sede Batel do Curso Positivo e na UTFPR, no centro de Curitiba – de segunda a sexta-feira, das 18h45 às 22h20 e aos sábados, das 7h30 às 12h.
As inscrições custam R$ 40,00 e podem ser feitas até 25 de janeiro pelo site www.cursinhosolidario.org.br. A seleção dos candidatos é realizada em duas fases. A primeira delas é uma prova, com conteúdos gerais do primeiro e segundo anos do Ensino Médio – e acontece no dia 31 de janeiro. A segunda fase, nos dias 7 e 8 de fevereiro, consiste em uma entrevista com assistentes sociais, que vão selecionar os candidatos com maior vulnerabilidade. Mais informações pelo telefone (41) 3234-2363.
Serviço
Cursinho Solidário

Datas:
Inscrições até 25/01/2015
Primeira fase: 31/01/2015
Segunda fase: 07 e 08/02/2015
Início das aulas: 20/02/2015
Valores:
Inscrições: R$ 40,00
Mensalidade: gratuita
Informações e inscrições:
www.cursinhosolidario.org.br
(41) 3234-2363
Informações: Central Press

Rio de Janeiro se transformará na capital mundial da tecnologia educacional

 

bett
Quer saber e se atualizar sobre as últimas tendências e exigências do segmento educacional, geradas pelas constantes mudanças na aprendizagem do Século 21? Então anote aí: dias 17 e 18 de novembro, das 9h às 18h, ocorrerá, no Rio de Janeiro (Sofitel Rio de Janeiro / Copacabana), a 2ª edição da Bett Latin America Leadership Summit, que reunirá líderes educacionais da América Latina, incluindo ministros e secretários de educação. Tendo inovação e a tecnologia como eixo central, o evento discutirá a implementação das novas práticas educacionais e seus efeitos nas instituições de ensino, tendo como referência o atendimento das necessidades dos estudantes e de todos que buscam a ampliação de seus conhecimentos.
Com 30 anos de experiência, a Bett realiza os maiores eventos de tecnologia educacional na Europa (Inglaterra), Ásia (Cingapura) e América Latina (Brasil). Atualmente, a Bett Show no Reino Unido é o maior e mais visitado evento de tecnologia educacional do mundo.A primeira versão da Bett Latin America Leadership Summit aconteceu em 2013, em São Paulo, e reuniu 559 participantes de 26 países.
Site Oficial / programa: http://www.latam.bettsummit.com/
Outras novidades dentro do evento
Fórum de Desenvolvimento Profissional de Educadores – parceria com a Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP) realizado na Escola Americana do Rio de Janeiro (EARJ). Uma excelente oportunidade de desenvolvimento profissional para diretores, coordenadores de tecnologia, coordenadores pedagógicos e professores, por meio dada aprendizagem a partir das experiências de colegas e de especialistas nacionais e internacionais, bem como da colaboração entre pares e da possibilidade de estabelecimento de redes.
Fórum “Tecnologia no Ensino Superior” que, com a participação das instituições de maior prestígio nesse segmento, e de forma alinhada com a vanguarda das tecnologias educacionais, discutirá os caminhos para o futuro do ensino superior na região.
 “Leadership Summit Awards”premiará projetos e soluções inovadoras compatíveis com as características e as necessidades da educação no Século 21.
Fonte: Informações editadas a partir da assessoria de imprensa do evento: Baruco Comunicação Estratégica.

Catraca Livre – Fundamentos do Google para Ensino

A tecnologia veio facilitar a vida do professor, embora muitos têm encontrado dificuldade para adotá-la e perceber as suas potencialidades para acelerar e melhorar o aprendizado dos estudantes. Para dar aquela motivação e “empurrãozinho” que o professor precisa, a Google está oferecendo gratuitamente o curso piloto Fundamentos do Google para o Ensino direcionado para brasileiros interessados no uso dos produtos do Google em um ambiente educacional para melhorar a eficiência e a eficácia como educador.
Dividido em três unidades: Pesquisa e comunicação; Criação e Compartilhamento e Melhore a Experiência em Sala de Aula, o curso utiliza-se de vídeos, casos de uso e exemplos, que ajudarão o professor não só em sala de aula como fora dela em questões administrativas. O curso inclui, entre vários outros recursos, o uso do Google Apps para Educação com o Sala de Aula e o Google Maps.
Datas  – O curso estará disponível de 18 de novembro a 19 de dezembro de 2014 com apoio de Professores Certificados Google, colegas e especialistas de conteúdo.
Mais informações e inscrições:
https://basicsforteaching.withgoogle.com/course

Catraca Livre – Curso online Introdução ao Jornalismo Móvel

ANJ
A  Associação Nacional de Jornais (ANJ) do Brasil e o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, com o apoio do Google, vão oferecer o Curso Online Aberto Massivo (ou MOOC, na sigla em inglês) “Introdução ao Jornalismo Móvel”.
No programa do curso será possível aprender sobre tendências, melhores práticas, usos e estratégias relacionadas às plataformas e dispositivos móveis e seu impacto no jornalismo. O curso é inteiramente online, dura quatro semanas e é conduzido pelo especialista americano Will Sullivan e pela professora brasileira Lorena Tárcia. Saiba mais sobre o curso aqui e clique aqui para se inscrever.
Os alunos, no total de seis, que fizerem o melhor projeto final do curso, uma matéria ou produto jornalístico inteiramente produzido usando apenas dispositivos móveis irão participar de duas conferências nesta área, em Austin, Texas.
Fonte: editado a partir de Knight Center for Journalism in the Americas

Download gratuito: Cartilha Tecnologias na Escola

claro

Ilustração: Tom B

O Instituto Claro disponibiliza no seu site a cartilha “Tecnologias na escola – como explorar o potencial das tecnologias da informação e da comunicação na aprendizagem?” (clique aqui). O documento é de 2010 e falando-se em tecnologia quatro anos é muito tempo tanto que  por ali encontram-se ferramentas que nem existem mais como o Orkut. Mesmo assim, a cartilha continua atual, uma vez que inúmeros outros recursos são recomendáveis para uso e que estão em plena atividade na web, no entanto, pouco explorados em sala de aula.
O professor Carlos Seabra é autor da cartilha e a dividiu em: navegação na internet (por exemplo: buscadores como o Google, Wikepédia e o Bing; WebQuest, WebGincana), comunicação (Google Talk, Skype), Vídeo (uso do Youtube, elaboração de um projeto, roteiro, seleção de equipamentos e locais, filmagem, edição de áudio e vídeo e por fim autorização de uso), Som (podcasts, softwares de edição como o Audacity, audiobook), Imagens (Flickr, Picasa, fotolog), Blog (criação de blogs individuais ou em grupo), Textos e planilhas (Processador  de textos, planilha eletrônica, apresentação de slides e gerenciador de bancos de dados), Mapas ( (ferramentas de geoprocessamento, como o Geobusca, Google Maps ou Google Earth), Redes Sociais (Twitter, Facebook) e Jogos e simulações (games sociais, simuladores de voo, Portal do Jogos Cooperativos Computacionais, Banco Internacional de Objetos Educacionais).
Seabra diz na cartilha que: “para que estas tecnologias sejam significativas, não basta que os alunos simplesmente acessem as informações: eles precisam ter a habilidade e o desejo de utilizá-las, saber relacioná-las, sintetizá-las, analisá-las e avaliá-las (…) ir além de respostas simples”.