Posts in Educação e Comunicação

ARTIGO – Por uma nova comunicação na Educação a Distância

Brisa_perfilTexto: Brisa Teixeira de Oliveira (Artigo publicado no site da Futuro Eventos)
http://www.futuroeventos.com.br/noticias/integra.php?id=596

A revolução da informação e da comunicação está desafiando os métodos tradicionais de ensino. Quando uma instituição educacional percebe que chegou a hora de ofertar os seus cursos também na modalidade virtual, uma série de medidas e adaptações precisa ser tomada. Entre os vários desafios, um deles está na capacitação dos professores, no sentido de prepará-los a tornarem-se aptos para se comunicar com este aluno que agora está presente virtualmente. No entanto, a realidade de muitas instituições é a oferta de cursos na modalidade a distância com os mesmos procedimentos do presencial, transpostos para um Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem (AVEA), sem adequá-los à natureza do modo de comunicação virtual.

A arte de se comunicar na Educação a Distância (EaD) envolve uma série de questões que precisam ser apreciadas a fim de que ocorra um diálogo contínuo entre todos os atores do processo de ensino e aprendizagem, em que o objetivo final realmente seja a aprendizagem do estudante por meio de uma mediação pedagógica que dê conta das mudanças de paradigmas que a educação on-line traz.

Em tempos de recessão econômica somadas com as mudanças tecnológicas, muitas profissões estão passando por um processo de se reinventar. Com os professores e instituições de ensino a transformação vem acontecendo dentro e fora da sala de aula. Isso não é diferente com os professores que ganharam mercado com a atividade de escrever materiais para a EaD. Mas nem sempre eles desenvolvem essa atividade de redigir materiais para a modalidade a distância levando em conta as concepções pedagógicas atuais, o conhecimento do seu público-alvo, as possibilidades de intersecção com as mídias e questões relativas à linguagem.

O dialogismo, por exemplo, é uma realidade em vários materiais didáticos de ensino presencial, no entanto, quando fala-se em EaD, esse caráter dialógico precisa ser intensificado, pois visa aproximar os que estão distantes fisicamente. É como se o professor/autor, fisicamente distante dos estudantes, pudesse estar presente, envolvido com a construção de um estilo conversacional.

A competência midiática implica não apenas nas práticas pedagógicas, estende-se para as práticas de gestão institucional. Além dos modos de comunicação faz-se necessário criar condições para o desenvolvimento de uma competência mediática que privilegie uma comunicação, que promova a interação efetiva entre estudantes e professor no Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem.

A concepção pedagógica precisa estar integrada com o processo metodológico, do contrário, pode-se estar utilizando a tecnologia mais avançada para se fazer o óbvio ou o tradicional. Como é, então, que os professores expressam sua presença pedagógica no diálogo on-line por meio dos recursos digitais? Quais são as condições, limites e possibilidades dos meios digitais? A tecnologia, enfim, veio para limitar ou para potencializar outras formas de trabalho pedagógico?

Cabe aos professores, às instituições de ensino e a todos os envolvidos no processo, inclusive os alunos, entender que a transposição de cursos da modalidade presencial para virtual necessita de determinadas competências comunicativas por meio do processo de letramento digital. Não se pode afirmar que, somente com a existência de um Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem já está assegurada a competência comunicacional para uma efetiva aprendizagem. Para que neste espaço haja cooperação, diálogo, interação faz-se necessário desenvolver uma determinada fluência comunicacional, de uma nova cultura, que vai além da inovação técnica.

Brisa Teixeira de Oliveira
Mestre em Educação UFSC (2015), na linha Educação e Comunicação, com pesquisa acadêmica sobre as mudanças comunicacionais em cursos que passaram da educação presencial para a Educação a Distância (EaD). Formada em Comunicação-Jornalismo, na PUC-PR, em 1997. Pós-graduada em Marketing (FAE), Jornalismo Digital (Universidade Autônoma de Barcelona) e Formação de Orientadores Acadêmicos em EaD (Uninter).

Qual o principal desafio em atuar como professor de Comunicação hoje?

paulo-camargo
O Portal IMPRENSA divulgou os finalistas do Professor IMPRENSA, projeto que reconhece os docentes de Comunicação mais inspiradores do Brasil e que conta com o apoio da Jeduca – Associação dos Jornalistas de Educação, que vem desenvolvendo um trabalho muito bacana de unir forças para uma melhor reportagem nos meios de educação, sem parcialidade e responsabilidade.
Os 26 professores finalistas, das cinco regiões do Brasil, foram convidados pela IMPRENSA para um debate online sobre a seguinte questão: Qual o principal desafio em atuar como professor de Comunicação hoje?
Read More

Big Time Orchestra será a grande atração do Seminário Ler e Pensar

tic_tag_divulgacao2

Trabalho de professor não é fácil. É o que muitos dizem e eles não estão errados. Mas há aqueles, e são muitos, que – mesmo concordando com a afirmação – colocam dedicação e amor em tudo o que fazem e o dia a dia passa a ser mais prazeroso e gratificante.
Para celebrar e reconhecer o trabalho de professores como esses, todo ano o Instituto GRPCOM faz a premiação de educadores e escolas, que se destacaram no projeto Ler e Pensar. Na ocasião acontece o Seminário Ler e Pensar de Educação e Leitura, que já está na sua 14ª edição. Neste ano, o evento ocorrerá, na Ópera de Arame, dia 5 de outubro, às 19h, na Ópera de Arame.
Como palestrantes, abordando o tema “Desafios da Educação para o século XXI”, participam o doutor em Letras/Literatura Geraldo Peçanha de Almeida e o doutor em Educação Marciano Cunha. Geraldo estudou psicanálise e é autor de mais de 50 livros. Marciano é pesquisador na área de Gestão Estratégica de Pessoas e, entre tantos trabalhos que realiza, é facilitador para desenvolvimento de grupos e organizações em processo de mudança e gerenciamento de conflitos.
Outro grande momento do evento será o show da Big Time Orchestra, que vem fazendo um grande sucesso em todo o Brasil, após a participação do Programa Superstar. O repertório da moçada, que vai levantar o astral do público, traz releituras de clássicos do swing, pop, rock e soul.
Enfim, será um grande presente que o Instituto GRPCOM oferecerá a todos os participantes do Projeto Ler e Pensar e também daqueles que se interessam pela melhoria da educação em nosso país.
A inscrição é gratuita e pode ser feita neste link: bit.ly/2c7zBOO
Texto: Brisa Teixeira
everton_orozco_rosa_2

Everton Renaud faz o pré-lançamento do livro Mídia e Escola, no Intercom, em SP

Livro_everton
Ontem, 5 de setembro de 2016, em São Paulo, durante o Intercom – Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – foi o dia de Everton Renaud fazer o pré-lançamento do livro “Mídia e Escola – um estudo de recepção de reportagens de telejornal em sala de aula”. Tive o prazer e o desafio de fazer a preparação do original, revisão ortográfica, revisão gral e escolha da capa, partindo da dissertação de mestrado do autor.
Com apresentação de Rosa Maria Cardoso Dalla Costa e prefácio de Guillermo Orozco Gómez (com Everton, na foto acima), o livro é resultado de um estudo de recepção de reportagens de telejornal em sala de aula sob a perspectiva da teoria das mediações. A obra foi realizada no contexto do projeto de comunicação e educação “Televisando o Futuro” (Instituto GRPCOM).
A principal questão que motivou a escrita desta obra – e que irá motivar a leitura de um público direcionado para estudantes e profissionais das áreas de educação e comunicação – foi de descobrir como os alunos recebem as reportagens do telejornal quando mediados pela escola e pelo professor. Dessa forma, a interface entre comunicação e educação permitiu conhecer o contexto e as características do emissor, das audiências e das mensagens.
INTERCOM
No Intercom, que prossegue até sexta-feira, dia 9, estão sendo debatidos tópicos de jornalismo, relações públicas, publicidade, rádio, televisão, cinema, produção editorial e de conteúdo para mídias digitais e políticas públicas de Comunicação. O evento acontece desde 1977 e reúne, tradicionalmente, cerca de 3,5 mil pessoas, entre alunos de graduação e pós-graduação, pesquisadores e profissionais da área.

Começa hoje o Festival Hub Escola

Começa hoje, em Curitiba, a 8.ª edição do Festival Hub Escola. São jovens empreendedores e inovadores repassando o que eles têm de melhor: o conhecimento. Pessoas com visão de futuro e experiências de vida que vão motivar quem passar por lá. Serão duas semanas intensas de oficinas para refletir e pensar coletivamente sobre como cada um está conduzindo a sua vida pessoal e profissional aliadas com o equilíbrio necessário para ser feliz e tomar decisões assertivas. Focar na sua área, intensificar os pontos fortes, preencher os pontos fracos, enfim, tem apresentações interessantes e instigantes para todo profissional bem intencionado.
As oficinas são dinâmicas e participativas que vão desde como apresentar uma palestra de alto impacto até hábitos eficazes para aprendizagem autônoma.
Confira a programação completa, que vai até o dia 14 de maio, neste link http://curitiba.impacthub.net/cursos-festival-hub-escola/
Aqui, pelo blog, será possível acompanhar como foram algumas apresentações, escolhidas a dedo, com entrevistas com os palestrantes. O Festival Hub Escola já é uma referência para quem quer aprender com inovação e motivação.
Para algumas oficinas você consegue se inscrever. Corra enquanto é tempo. Acesse o link http://gph.is/1rnpbhV e sucesso para todos nós.

Ciclo de debates “Periódicos UFSC”.

Logo-redondo-CICLO-DE-DEBATES2-300x228
Como parte das comemorações dos sete anos do lançamento oficial do Portal de Periódicos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), será promovida a quarta edição do ciclo de debates “Periódicos UFSC”. Com o tema central “Direito Autoral e Critérios de Qualidade na Publicação Científica”, o evento será realizado no dia 5 de maio de 2015, às 8h30, no auditório da BU, campus de FlorianópolisAs inscrições são gratuitas e limitadas.
O evento contará com a presença de convidados, como o professor Benedito Barraviera (Unesp) e Bianca Amarom (IBICT), além de relatos de experiências de revistas publicadas pela própria UFSC.
Programação completa, inscrição e mais informações no site do evento.
Fonte da notícia: Portal da UFSC

Revista Comunicar traz o tema Mooc e educação

Acaba de sair do forno a edição de número 44 da Revista Comunicar – revista científica sobre comunicação e educação publicada na Espanha. O tema é: “Mooc en la educación” (MOOC na educação). A sigla Mooc vem do inglês e quer dizer Massive Open Online Course, traduzindo para o português Curso Online Aberto e Massivo. São cursos virtuais de nível universitário que estão disponíveis gratuitamente e costumam oferecer certificado. Os cursos pela rapidez e facilidade vêm atraindo milhares de pessoas.
Para saber mais sobre os MOOCs acesse o vídeo disponibilizado acima do Mais Cursos Online e confira os artigos escritos por pesquisadores de várias partes do mundo. Os artigos estão disponíveis gratuitamente na página oficial da Revista Comunicar http://www.revistacomunicar.com/index.php?contenidos =preimpreso
Para facilitar, busque nos links abaixo os artigos da Comunicar conforme o seu interesse:
Literatura y práctica: una revisión crítica acerca de los MOOC
Andrés Chiappe Laverde, Nicolás Hine & José Andrés Martínez Silva. Bogotá & Dundee (Colombia & Reino Unido).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-01
Diseño, motivación y rendimiento en un curso MOOC cooperativo
Carlos Castaño Garrido, Inmaculada Maiz Olazabalaga & Urtza Garay Ruiz. Bilbao (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-02
Un estudio sobre los componentes pedagógicos de los cursos online masivos
Manuela Raposo Rivas, Esther Martínez Figueira & José Antonio Sarmiento Campos. Ourense & Pontevedra (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-03
Desafíos de la creación, desarrollo e implementación de los MOOC: el curso de Web Science en la Universidad de Southampton
María del Mar Sánchez Vera, Manuel León Urrutia & Hugh Davis. Murcia & Southampton (España & Reino Unido).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-04
Anotaciones y el héroe griego antiguo: Pasado, presente y futuro
Leonard Muellner. Washington DC (Estados Unidos).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-05
Usabilidad y satisfacción en herramientas de anotaciones multimedia para MOOC
Juan José Monedero Moya, Daniel Cebrián Robles & Philip Desenne. Málaga, Talentia & Boston (España & Estados Unidos).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-06
Un repositorio digital de contenido fílmico como recurso didáctico
Miguel Ángel Tobías Martínez, María do Carmo Duarte Freitas & Avanilde Kemczinski. Paraná & Santa Catarina (Brasil).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-07
Análisis e implicaciones del impacto del movimiento MOOC en la comunidad científica: JCR y Scopus (2010-13)
Eloy López Meneses, Esteban Vázquez Cano & Pedro Román Graván. Sevilla & Madrid (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-08
Evaluación de competencias digitales didácticas en cursos masivos abiertos: Contribución al movimiento educativo abierto Latinoamericano
Erika Elvira Hernández Carranza, Sandra Irene Romero Corella & María Soledad Ramírez Montoya. Michoacán, Hermosillo & Monterrey (México).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-09
¿Son los MOOC una alternativa de aprendizaje?
Antonio Ramón Bartolomé Pina & Karl Steffens. Barcelona & Köln (España & Alemania).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-10
Plagio académico entre alumnado de secundaria y bachillerato: diferencias en cuanto al género y la procrastinación
Jaume Sureda Negre, Ruben Comas Forgas & Miquel Francesc Oliver Trobat. Palma de Mallorca (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-11
Hábitos de uso y conductas de riesgo en Internet en la preadolescencia
Javier Fernández Montalvo, María Alicia Peñalva Vélez & Itziar Irazabal. Pamplona (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-12
El uso de multimedias en las tareas académicas por los estudiantes
Erdem Ongun & Askin Demirag. Estambul (Turquía).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-13
Formas de la convergencia de medios y contenidos multimedia: una perspectiva rumana
Georgeta Drula. Bucarest (Rumania).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-14
ARG (juegos de realidad alternativa). Contribuciones, limitaciones y potencialidades para la docencia universitaria
Teresa Piñeiro Otero & Carmen Costa Sánchez. A Coruña (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-15
Efectos no deseados por la comunicación digital en la respuesta moral
Isidoro Arroyo Almaraz & Raúl Gómez Díaz. Madrid (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-16
Ciberacoso mediante teléfono móvil e internet en las relaciones de noviazgo entre jóvenes
Mercedes Durán Segura & Roberto Martínez Pecino. Sevilla (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-17
Influencia del «placement» sobre la memoria explícita e implícita de estudiantes universitarios
Leslier Valenzuela Fernández, Carolina Martínez Troncoso & Felipe Yáñez Wieland. Santiago de Chile (Chile).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-18
Categorización, selección de ítems y aplicación del test de alfabetización digital on-line como indicador de la competencia mediática
Jon Dornaleteche Ruiz, Alejandro Buitrago Alonso & Luisa Moreno Cardenal. Segovia (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-19
La docencia sobre alfabetización mediática en las facultades de Educación y Comunicación
Laura López Romero & María de la Cinta Aguaded Gómez. Málaga & Huelva (España).
http://dx.doi.org/10.3916/C44-2015-20

Conheça os vencedores do Concurso Cultural Ler e Pensar

Foto: Antonio More

Foto: Antonio More

O Ler e Pensar (projeto de mídia-educação para o uso do jornal em sala de aula) realiza anualmente o Concurso Cultural Ler e Pensar. O evento, que ocorreu na última terça e quarta (28 e 29), no Teatro Guaíra, em Curitiba, é um grande incentivo para os professores que participam do Projeto, além de divulgar as melhores práticas e as secretarias municipais de educação mais atuantes.
Conheça clicando aqui quem foram os vencedores da edição deste ano e assista a cobertura do evento (segundo bloco) e entrevista com os vencedores do Concurso, com a supervisora do projeto Ana Gabriela Borges Simões (no Projeto há 12 anos – dos 15) e com a coordenadora Fernanda Cotrim.

Download gratuito: Cartilha Tecnologias na Escola

claro

Ilustração: Tom B

O Instituto Claro disponibiliza no seu site a cartilha “Tecnologias na escola – como explorar o potencial das tecnologias da informação e da comunicação na aprendizagem?” (clique aqui). O documento é de 2010 e falando-se em tecnologia quatro anos é muito tempo tanto que  por ali encontram-se ferramentas que nem existem mais como o Orkut. Mesmo assim, a cartilha continua atual, uma vez que inúmeros outros recursos são recomendáveis para uso e que estão em plena atividade na web, no entanto, pouco explorados em sala de aula.
O professor Carlos Seabra é autor da cartilha e a dividiu em: navegação na internet (por exemplo: buscadores como o Google, Wikepédia e o Bing; WebQuest, WebGincana), comunicação (Google Talk, Skype), Vídeo (uso do Youtube, elaboração de um projeto, roteiro, seleção de equipamentos e locais, filmagem, edição de áudio e vídeo e por fim autorização de uso), Som (podcasts, softwares de edição como o Audacity, audiobook), Imagens (Flickr, Picasa, fotolog), Blog (criação de blogs individuais ou em grupo), Textos e planilhas (Processador  de textos, planilha eletrônica, apresentação de slides e gerenciador de bancos de dados), Mapas ( (ferramentas de geoprocessamento, como o Geobusca, Google Maps ou Google Earth), Redes Sociais (Twitter, Facebook) e Jogos e simulações (games sociais, simuladores de voo, Portal do Jogos Cooperativos Computacionais, Banco Internacional de Objetos Educacionais).
Seabra diz na cartilha que: “para que estas tecnologias sejam significativas, não basta que os alunos simplesmente acessem as informações: eles precisam ter a habilidade e o desejo de utilizá-las, saber relacioná-las, sintetizá-las, analisá-las e avaliá-las (…) ir além de respostas simples”.

José Manuel Moran será examinador de banca na UFSC

moran

O professor da Universidade de São Paulo (USP), José Manuel Moran, estará na UFSC, no próximo dia 29, às 14h, no Programa de Pós-Graduação de Educação (PPGE) – sala 618. O motivo é a sua participação como examinador da banca da aluna Ana Cristina Cravo Miguel que trará o tema “Letramentos e práticas pedagógicas na educação profissional: um estudo de caso de formação continuada para as mídias para os profissionais do Senai/SC”.
A orientação é da professora Dulce Márcia Cruz. Faz parte também da banca: Mônica Fantin (PPGE-UFSC), Maria Hermínio Lage Fernandes Laffin (PPGE-UFSC) e como suplente Martha Kascchny Borges (Udesc).
Em alguns programas de pós-graduação (mestrado, doutorado) os alunos são obrigados a assistir “X” bancas para cumprir os seus créditos. Meu programa (Pós-Graduação em Educação, na UFSC) não exige isso, mas a experiência ajuda a entender a dinâmica de uma banca, a adquirir conhecimentos e a ganhar segurança. Embora, é verdade, muitas bancas também podem deixar o mestrando/doutorando ainda mais apavorado, quando acontece aquele “massacre” de todos os examinadores.
De qualquer forma, os estudantes que pesquisam temas como educação e mídia não podem perder a banca de Ana Cristina e estar perto de Moran, renomado pesquisador na área.